TABELA DE FRETE DA ANTT É CANCELADA E GERA INSATISFAÇÃO

As medidas anunciadas pelo Governo em 2018, como a tabela de frete mínimo da ANTT (entenda mais sobre o frete mínimo nesse texto) não geraram o resultado positivo esperado. Recentemente a atualização da tabela publicada pela ANTT gerou insatisfação por por parte dos caminhoneiros, e foi posteriormente revogada. Esse é só um episódio sintomático da expectativa de embarcadores e motoristas para o cenário dos fretes nos próximos anos. 

A NTC&Logística (Associação Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas e Logística) recentemente divulgou dados que mostram a queda de expectativa em relação ao mercado rodoviário: dos 2500 entrevistados, 56% afirmaram que a situação está pior que antes. Em janeiro, esse número era de 36%. 

Outro dado importante é que o faturamento das transportadoras diminuiu em cerca de 62% no último semestre. A dificuldade para implantar a tabela de frete também foi um fator que contribuiu para esses dados. Em janeiro, 60% dos empresários imaginou que a tabela poderia ser positiva, em julho o número caiu para 41,5%. 

A pesquisa revelou também que 54% das transportadoras possuem fretes a receber em atraso. Isso demonstra o surgimento de uma grande fila de pagamentos (backlog) por parte das empresas contratantes, agravando ainda mais um cenário já conturbado. 

  • Entenda o cancelamento da tabela de frete: 

O Governo Federal suspendeu no dia 22 de julho a atualização da tabela de frete publicada na semana. A resolução da ANTT desagradou caminhoneiros, pois a atualização diminuiu os valores mínimos. Após os indícios de descontentamento, o governo federal resolveu recuar e cancelar a atualização que entrou em vigor no sábado. 

A classe dos caminhoneiros se reunirá com as autoridades em Brasília para definir um acordo em relação aos valores previamente acordados da tabela de frete publicada pela ANTT, e a tentativa é de realizar um acordo entre as 11 categorias com segmentos de embarcadores/transportadores. De acordo com o ministro da infraestrutura Tarcísio Gomes, os acordos devem ser fechados com cada um dos segmentos envolvidos, para resolver as demandas específicas. 

“O diálogo segue sendo o principal mecanismo com o qual vamos buscar o consenso no setor de transportes de cargas. Por isso a importância em dar continuidade às reuniões. Estamos desde o início do ano com as portas abertas no ministério e esta tem sido a melhor forma de dar transparências às decisões que estão sendo tomadas em conjunto”,  declarou o ministro. 

conheca-a-everlog

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Cadastre seu e-mail e receba nossas novidades:

x

Fale Conosco

x

Ligamos para Você